quarta-feira, 1 de junho de 2011

No silêncio

E o tempo é maior.O coração já está cheio. Antes fosse de sentimentos,mas não, números, letras, e outras bobeiras.A voz que antes não saia agora sempre sai, principalmente quando não deve. 
Queria pegar o violão e tocar pra você uma canção de amor, mas agora não faria sentido.
Não foi sempre assim. Tentei dizer, muitas e muitas vezes,  mas vi você... tão longe.
Me sinto fraca e sozinha quando te vejo aqui. Tão próximo e tão distante. Se me dissessem onde tudo se perdeu talvez eu até procuraria, mas minha cama está tão quentinha, e ainda não parece dia. O quarto está escuro e lá fora faz muito frio. Talvez o nevoeiro tenha coberto algo que não queríamos, e mesmo que a tempestade tenha passado, alguns danos foram causados. Espero que dessa vez consigamos recuperar o pouco que tínhamos e perdemos.


Olhei pra mim, me vi assim, tão perto de chegar onde você não está. 
Solidão.


Nenhum comentário: